1

Resenha: Fênix: A Ilha - John Dixon - Novo Conceito.


Fênix: A Ilha 


Sinopse Sem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos?



Minha Opinião:  Como falar de Fênix A Ilha? Irei começar pela capa. De primeira, sem olhar a parte traseira do livro eu podia jurar que se falava sobre um náufrago. E uma imagem que passou pela minha cabeça foi uma jangada- previsível, não?-, Depois que eu li a sinopse fiquei um pouco mais curiosa. O livro retrata a vida de Carl Freeman, um garoto que sempre defendeu os oprimidos, mas com o passar do tempo. Precisou ser punido. E seu castigo foi passar em um campo de treinamento até a maioridade. Porém, vários acontecimentos tornam sua estádia cada vez mais insuportável e misteriosa.

A vida do nosso querido Carl nem sempre havia sido difícil, ele tinha pais que o amavam muito, entretanto a morte levou aqueles que ele mais amava. Carl virou órfão e descobriu que ele podia apenas contar consigo mesmo, não havia ninguém para repartir seus segredos. O ódio consumia cada vez mais a paz de espirito do garoto, e seu comportamento agressivo apenas dificultou ainda mais. Em uma audiência com o juiz, viu toda a sua vida mudar. Como eu mencionei um pouco mais acima, Carl foi sentenciado. Seu contato com o resto do mundo foi cortado. Sem telefone. Sem SMS. Sem e-mail. Sem TV. Sem Internet. Sem saída. Embarcou para a tão “esperada” ilha Fênix. Assim que chegou foi apelidado de Hollywood e um dos sargentos Instrutores explicou como um individuo deveria ser tratado. Algumas partes do livro ficaram monótonas aos meus olhos, porém... Tudo isso passou e eu fiquei cada vez mais ansiosa. A narração foi me deliciando aos poucos, a narração é em terceira pessoa e eu acho que foi uma escolha muito importante. Imaginei cada detalhe do local, cada detalhe dos acontecimentos, o livro é rico em detalhes. Isso bastou para ganhar pontos comigo. Você vê que já passou das 200 páginas do livro e dá aquele aperto no coração. Fui lento aos poucos, me apegando aos poucos, e quando terminei olhei para o teto e fiquei pensando. O final é surpreende, vale muita a pena ler.


 O trecho ao baixo fui um dos que mais gostei:


“ Também amo a noite. – disse o homem, e Carl ouvi-o respirar profundamente mais uma vez. – A quietude, o mistério, o aguçamento dos sentidos. Os sons ressoando na escuridão, e as pontas dos dedos podem enxergar na cegueira da noite.”


Carl com certeza não conseguiu ficar muito tempo longe de encrenca. E obviamente se meteu com a pessoa errada. Parker é o Sargento Instrutor da Fase Azul, e também é o tormento do nosso herói. Não irei citar o que ele faz para não destruir a emoção. Só sei que em um desses momentos, eu simplesmente vibrei e comecei a torcer para o Carl quebrar a cara do Parker. E então... Será que Carl fez isso?


Minha resenha está quase no fim. Eu queria ter contado bem mais coisas, só que não gosto muito de dar spoiler - o povo me mata. O final é simplesmente surpreendente e um pouco... Inesperado. Acho que isso foi o que mais me agradou. Imaginei um final para o livro, e o John Dixon me mostrou que eu não sou a Raven da vida e colocou um enredo melhor do que eu esperava. Encerro minha resenha nesse momento dando ao livro 4 estrelas. É uma leitura agradável com uma leitura gostosa, os fatos te evolvem aos poucos, e uma hora ou outra você se cativa. Acho que é isso. Beijos!





Beatriz Cerone
4

Novidades de Agosto da Editora Novo Conceito

Gente, e esses lançamentos da Editora Novo Conceito de Agosto???? Quero todos!!!


Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.


VIRGINDADE. Bliss Edwards vai se formar na faculdade e ainda tem a sua. Chateada por ser a única virgem da turma, ela decide que o único jeito de lidar com o problema é perdê-lo da maneira mais rápida e simples possível com uma noite de sexo casual. Tudo se complica quando, usando a mais esfarrapada das desculpas, ela abandona um cara charmosíssimo em sua própria cama. Como se isso não fosse suficientemente embaraçoso, Bliss chega à faculdade para a primeira aula do último semestre e... adivinhe quem ela encontra?


No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros, são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair. Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown. A Menina Mais Fria de Coldtown, da aclamada Holly Black, é uma história única sobre fúria e vingança, culpa e horror, amor e ódio.


Ana decidiu viver permanentemente na Krósvia, e tudo está às mil maravilhas. Além do namoro cada vez mais sério com Alexander, ela tem um emprego fixo na embaixada brasileira e dedica parte de seu tempo às meninas do Lar Irmã Celeste. Mesmo cumprindo tantos compromissos sociais como princesa, Ana nunca foi tão feliz. Porém, de uma hora para outra, tudo muda. Seu pai, o rei Andrej Markov, sofre um grave acidente e vai parar na UTI. Não resta alternativa: Ana vai ter que assumir o trono da Krósvia e governar a nação. Pouco – ou quase nada – familiarizada com a função, ela vai precisar de ajuda não só para reger o seu país, mas também para manter perto de si aqueles que ama. Muita gente está interessada no seu fracasso.


Quando voltou das férias de verão, Cadu não imaginava a confusão em que a sua vida se transformaria. Era para ser um ano normal, mas ele entrou em uma enrascada e está correndo o risco de perder a amizade do cara mais legal do mundo. O que fazer quando a namorada do seu amigo vira uma obsessão para você? Os churrascos da turma da faculdade talvez ajudem a esquecer Juliana, e, se depender do esforço do divertido Caveira, não faltarão garotas gente boa para preencher o coração de Cadu. Mas não adianta forçar... Quem consegue mandar no coração? Alice, a irmã de Beto, é só mais uma das dores de cabeça que Cadu tem que enfrentar. A vida inventa cada cilada!


Meus dedos tocaram a selenita em meu colar. Tudo o que podia imaginar era que ele foi mandando comigo, como uma espécie de recordação, talvez por minha mãe, quando Pa Salt me adotou. Ele dissera, quando me deu o presente, que havia uma história interessante pode trás daquela joia... Ele esperava que eu perguntasse. E eu desejava com todo o coração, naquele momento, ter perguntado. Agora que Maia e suas irmãs perderam o pai, cada uma delas tem em suas mãos a decisão de buscar ou não a verdade sobre sua família biológica. Maia não resiste ao chamado do passado e é atraída até o Rio de Janeiro, onde, auxiliada pelo escritor Floriano, irá mergulhar em uma história quase centenária. Nos anos 20, uma paixão devastadora entre uma aristocrata brasileira e um escultor francês é sufocada pelas convenções sociais. Uma pequena placa de pedra-sabão eternizou o amor de Izabela e Laurent, selando o destino de Maia. A escritora best-seller Lucinda Riley mergulhou na cultura e na história do nosso país para conhecer de perto os mitos e verdades sobre a construção de um dos mais emblemáticos monumentos à nossa fé: o Cristo Redentor. O resultado dessa experiência é uma trama surpreendente e sensual, recheada de elementos exóticos. A partir do momento em que, junto com Maia, aterrissamos no Rio de Janeiro, não vamos nos separar dela enquanto não decifrarmos os segredos de seu passado. E esse é apenas o começo da viagem.








0

Louca por você – M. Leighton – @editorarecord

Sinopse: Quando Olivia conhece o charmoso e irresponsável Cash, não imagina que resistir às suas investidas pode ser bem mais difícil do que ela pensa. Nash, seu irmão gêmeo, também desperta o interesse da jovem. Responsável e bem-sucedido, ele é o oposto do irmão. Porém é comprometido com a prima de Olivia. Embora tenham personalidades completamente diferentes, guardam algo em comum - um incontrolável desejo por Olivia. Presa a esse triângulo amoroso, ela é incapaz de resistir aos beijos provocantes do selvagem Cash e às investidas do romântico Nash, muito menos desconfia que os dois irmãos guardam um grande segredo.

Minha opinião: Eu tenho a mania de ler a primeira frase da sinopse do livro e já comprar, sim, eu não termino de ler, pois não gosto de saber muito da história, gosto de abrir o livro e ler e descobrir TODA a história conforme eu vou lendo, e nos blogs da vida vi que esse era um livro New Adult e comprei.

Comecei a ler e adorei Olivia, uma mulher que saiu praticamente da roça para fazer faculdade para ajudar o pai no futuro. Olivia mora com a prima Marissa e seu emprego é em outra cidade, mas acaba arranjando emprego perto de casa em uma boate de um cara lindo, maravilhoso e tudo de bom chamado Cash, na qual rola uma atração de imediata e em circunstancia inapropriada.

Eis que Cash tem um irmão gêmeo chamado Nash, aí já dei menos um ponto ao livro, pois esses dois nomes parecidos iriam me confundir com certeza, e eis que Nash é namorado da chata da Marissa, que é prima de Olivia que dá um teto pra ela morar.

Eu sei que não mandamos no nosso coração e que podemos passar por uma situação dessas, mas no caso desse livro Olivia não me deixou feliz com suas atitudes e pensamentos. Não sou tão puritana assim, mas ela não se importa com ninguém, e não gosto de pessoas egoístas.

“O sabor de Cash é como um uísque escocês envelhecido na dose certa: intenso e delicioso. Sua língua escorrega ao longo da minha, acariciando-a, provocando-a, enquanto ele aperta minha mão para me puxar para perto de si. Faço a única coisa que posso: colo meu corpo no dele.”

Se eu recomendo o livro? Das milhares de resenhas que li depois que terminei o livro, 95% estão recomendando o livro, eu achei a escrita da autora muito boa, a história tinha tudo para emplacar, mas eu realmente não gostei.

“ – Nem vem, Liv! Você tem que se libertar disso. Só porque um cara é parecido,se veste, ou age de certo modo, não significa que ele seja como Gabe. Por outro lado, só porque um cara não é parecido, não se veste, nem age como ele, não quer dizer que seja diferente. Você não pode julgar todos os livros pela capa daquele idiota, cretino de pau pequeno e de cérebro atrofiado! Não deixe de correr riscos e aproveitar as oportunidades da vida só porque foi sacaneada.”

Esse é o primeiro livro da série Bad Boys e com certeza eu não irei ler o segundo, por realmente não gostar da história e acredito que o livro 2 não vai me fazer mudar de ideia.



Eunice Ely




2

[Adaptações de livros #1] O despertar de uma paixão


Hoje vou falar sobre filmes baseados em livros, que eu adoro!!! Sempre que sei que tem o livro e filme, corro para comprar o livro e se der o filme também, ou então quando sei que vai lançar um filme que é baseado em algum livro, ou vou correndo ver o filme, ou se não li o livro ainda saio atrás que nem uma louca.

Hoje eu estava fuçando no Netflix e lá tem uma lista de filmes baseados em livros e eu estava dando uma olhada, quando me deparei com o Filme “O despertar de uma paixão”, como assim tem o livro de um dos filmes que mais gosto!?? Fui lá fuçar no google e descobri que realmente tem um livro, e se chama O Véu Pintado - The Painted Veil - William Somerset Maugham.

Gente, se vocês puderem assistir a esse filme, assistam! O filme é lindo, daqueles que você suspira e chora tudo que tem que chorar.

“Década de 1920. Walter Fane, é um médico de classe média alta, que é casado com Kitty. Eles se casaram pelos mesmos motivos e logo se mudaram para Xangai, onde Kitty, se apaixona por outra pessoa. Quando descobre a infidelidade da esposa, Walter, se vinga aceitando um emprego numa remota vila da China, que foi arruinada por uma epidemia fatal. Kitty, parte com ele, com a jornada e a estada no local servindo para mudar o significado do relacionamento existente entre eles.

Quando eu comecei a assistir esse filme, ele foi me cansando ao extremo por ser parado, por Walter ser um chato, Kitty uma infeliz e por muitas outras coisas, mas continuei a assistir sabe Deus porque, de repente me vi presa em uma trama excelente, onde duas pessoas se casam por interesse e que acabam aprendendo com os erros um do outro, Kitty, por exemplo, quer se casar por dinheiro, ou porque quer sair de casa, essas coisas e Walter é cheio de manias, bobo, aqueles nerds que ninguém presta atenção que só dá atenção ao trabalho, Kitty não gostando desse jeito dele acaba se apaixonando por outro, que é casado e Kitty na ilusão acha que esse cara vai abandonar toda sua vida para ficar com ela, mas é claro que o cara só quer um casinho e nada mais, e um dia Walter descobre que Kitty está traindo e Kitty não nega e diz que quer o divórcio, mas naquela época o divórcio não era muito bem aceito, nem para o homem e nem para a mulher e nesse meio tempo, Walter recebe uma proposta de emprego na China e de castigo ele decide levar Kitty. Kitty vai atrás de seu amante para dizer que o marido descobriu tudo e que é um alivio, assim eles podem ficar juntos, mas logo percebe que o cara não quer nada com ela, e acaba indo “forçada” para a China com o marido.

Na China, a situação não é nada boa, pois estão passando por uma epidemia, a casa que eles moram não tem luxo, Kitty não conhece ninguém e também não entende o idioma deles, logo se vê em casa, sem falar com o marido, em um calor horrível, sem nada pra fazer e culpa seu marido por toda essa infelicidade.

Bom, até aqui eu falei demais... e é aqui que a história começa! Se tiverem a chance de assistir, não percam tempo, assistam! A história é realmente uma lição de vida. Vou deixar o trailer também e assim que eu ler o livro, venho fazer uma resenha.

Sei que não comecei a coluna muito bem, pois a primeira eu deveria comentar sobre um filme que eu já tivesse lido o livro, mas tenho que dizer que esse filme mexe muito comigo.




Beijos e até a próxima.

Eunice Ely
1

Fale – Laurie Halse Anderson - @EdValentina

Sinopse: “Fale sobre você... Queremos saber o que tem a dizer.” Desde o primeiro momento, quando começou a estudar no colégio Merryweather, Melinda sabia que isso não passava de uma mentira deslavada, uma típica farsa encenada para os calouros. Os poucos amigos que tinha, ela perdeu ou vai perder, acabou isolada e jogada para escanteio. O que não é de admirar, afinal, a garota ligou para a polícia, destruiu a tradicional festinha que os veteranos promovem para comemorar a chegada das férias e, de quebra, mandou vários colegas para a cadeia.
E agora ninguém mais quer saber dela, nem ao menos lhe dirigem a palavra - insultos e deboches, sim - ou lhe dedicam alguns minutos de atenção, com duvidosas exceções. Com o passar dos dias, Melinda vai murchando como uma planta sem água e emudece. Está tão só e tão fragilizada que não tem mais forças para reagir.
Finalmente encontra abrigo nas aulas de arte, e será por meio de seu projeto artístico que tentará retomar a vida e enfrentar seus demônios: o que, de fato, ocorreu naquela maldita festa?

Minha opinião: Eu tinha visto várias vezes essa capa e não me interessei, só que estava no canal de um dos blogs que eu gosto muito, no You Tube e diziam que o livro era muito bom, aí resolvi ler a sinopse e eu quis ler na hora, entrei no Submarino e comprei o livro, pois gosto de temas fortes.

“É mais fácil não dizer nada. Fechar a matraca, passar o zíper, calar o bico. Toda aquela babaquice que você escuta na TV sobre se comunicar e expressar o que sente não passa de uma mentira. Ninguém quer realmente ouvir o que você tem a dizer.”

Li o livro em um dia, são 248 páginas, você praticamente nem percebe que o livro está acabando. Depois que li a sinopse comecei a gostar da capa, e descobri que é a mesma autora de Garotas de Vidro, que é um livro que eu li há um tempo e gostei.

Melinda é uma garota que não abre a boca, está sempre quieta e muitas vezes me irritou, mesmo sabendo o motivo que a levou a fazer isso, aliás, foi o que mais me perturbou, mas... Cada um sabe o que faz.

O livro nos deixa curioso, mas o mesmo tempo sabemos o que aconteceu e o que vai acontecer em alguns momentos, mas você quer ler e ter certeza de tudo.

"Eu tinha feito um megaesforço para me esquecer de cada segundo daquela maldita festa, e cá estou eu, no meio de uma galera hostil, que me odeia por causa do que tive que fazer. Não posso contar para eles o que realmente aconteceu. Não consigo nem pensar naquela festa. Um rugido animal brota do meu estômago"

O pai e a mãe de Melinda me irritaram ao extremo, pois acho que se fossem pais mais presentes, saberiam que Melinda tinha algum problema, ou mesmo que soubessem os pais dela não foram atrás. Mesmo quando ela não falava, os pais diziam que não tinham tempo para esse tipo de besteira.

O livro realmente é bom e tem o filme também e quem faz a Melinda é a atriz Kristen Stewart, já tinha visto o filme há MUITO tempo e nem lembrava mais da história, mas tenho que admitir que o livro é o filme é muito bom.

Indico o livro para todos, para que possamos refletir.


Eunice Ely

0

Entre o agora e o sempre - J.A. Redmerski - @Suma_Br

Sinopse: Camryn Bennett e Andrew Parrish nunca foram tão felizes. Cinco meses depois de se conhecerem num ônibus interestadual, os dois estão noivos e prestes a ter um bebê. Nervosa, mas empolgada, Camryn mal pode esperar para viver o resto de sua vida com Andrew, o homem que ela sabe que vai amá-la para sempre. O futuro só lhes reserva felicidade... até que uma tragédia os surpreende. Andrew não consegue entender como algo tão terrivelmente triste pôde acontecer. Ele tenta superar o trauma — e acredita que Camryn esteja fazendo o mesmo. Mas, quando descobre que Camryn busca sufocar uma dor imensa de uma forma perigosa, fará de tudo para salvá-la. Determinado a provar que o amor dos dois é indestrutível, Andrew decide levar Camryn numa nova jornada carregada de esperança e paixão. O mais difícil será convencê-la a ir junto... Com Entre o agora e o sempre, a aguardada continuação de Entre o agora e o nunca, J. A. Redmerski concluiu a história de amor que encantou milhares de leitores.

Minha opinião: Bom, não preciso dizer para quem não leu o livro 1, para não ler essa resenha, porque com certeza vai conter spoiler do primeiro.

Comecei o livro querendo devorar, pois uma amiga disse que era muito bom e que eu ia gostar, mas achei o começo bem parado, como se quisessem resgatar toda a história do primeiro, apesar que nesse Camryn e Andrew estão cheios de problemas, bem mais que o anterior e acredito que a situação seja mais difícil de resolver e Camryn está mais sensível ainda, o que torna um pouco cansativo de ler, mas nas partes de Andrew o livro decola um pouco.

"Alguns meses atrás, quando eu estava deitado naquela cama de hospital, não achava que estaria vivo hoje, muito menos esperando um bebê e noivo de um anjo de boca suja. Mas aqui estou. Aqui estamos, Camryn e eu, enfrentando o mundo... de uma forma diferente. As coisas não aconteceram exatamente conforme planejamos, mas também isso raramente é o caso. E nenhum dos dois mudaria o modo como elas aconteceram, mesmo se pudesse."

Depois que passa todo o furacão e o livro vai chegando no final... O que tenho a dizer? A escritora soube fazer um final surpreendente, bonito, romântico que me fez suspirar, chorar e perdoar o começo do livro. Andrew e Camryn foram dois personagens que se desenvolveu aos nossos olhos, e tudo foi se encaixando e deu tudo certo no final. Não ficou faltando nada... Alias, eu adoraria mais um livro só para saber sobre “outros” personagens que deveriam ter seu livro, mas não posso dizer quem... rs.

".....Prometo que se um dia você me esquecer, lerei para você, como Noah lia para Allie....."

Se eu pudesse colocaria aqui todos os spoilers e explicaria a minha excitação por causa do final de Entre o agora e o sempre, mas a única coisa que posso fazer é dizer para vocês que eu indico e muito o livro, que vocês irão suspirar assim como eu com o final e quem é super fã deles desde o primeiro, não tenham medo, pois com certeza não vão se decepcionar.

Quem sentiu vontade de conhecer mais sobre o casal, temos a resenha do primeiro livro, uma feita pela Re e outro por mim.

É só acessar os links aqui embaixo:

Resenha Entre o agora e o nunca - Eunice
Resenha Entre o agora e o nunca - Renata


Eunice Ely

1

Boca a boca: Harry Potter - EPs


Eventos Potterianos





Oi galera, eu já mencionei várias vezes o quanto sou apaixonada por Harry Potter aqui, então vim mostrar pra vocês um pouquinho da influência que ele tem no meu mundo.  Me interessei por Harry Potter quando tinha 10 anos, toda aquela magia me encanta demais e logo quando me dei conta já era viciada na saga. Assisti o primeiro e o segundo filme e depois comecei a ler os livros, li tudo fora de ordem! Eu sou afobada e queria saber o que de fato aconteceria na saga com a visão mais completa - quem leu sabe bem que o filme corta praticamente tudo. A cada dia que passava eu me apaixonava ainda mais por Harry Potter e acabei fazendo amigos que tinham o mesmo gosto em comum, foi quando recebi meu primeiro convite para ir em um EP (Evento Potteriano) Fiquei super feliz e curiosa e quando fui descobri um mundo completamente diferente. Conheci a galera da Magic Potter (fã clube do qual eu faço parte) nos eventos havia quiz, brincadeiras e muita coisa legais! Éramos divididos em casas e cada casa era comandada por um grupo de staffs. Eu sempre amei a Sonserina, ela sempre foi minha morada e era pra lá que eu debandava, lá aprendi muitas coisas sobre Harry Potter e conheci muitas pessoas - incluindo meu melhor amigo - então, vim aqui mostrar um pouco do meu mundo pra vocês e quem sabe ele não possa vir a ser importante pra vocês. Abaixo estão algumas fotos dos eventos que eu fui e das coisas que nós temos, espero que gostem e que se interessem. 


Nossos eventos no Ibirapuera. 






A galera se reunia com cosplays e faziam a apresentação das casas com um grito de guerra ou uma peça de teatro. "Ah, mas isso é coisa de criança!" Muito pelo contrário, haviam muitas pessoas maiores de idade e nunca se é velho o bastante para fazer aquilo que se gosta - pelo menos eu penso assim. 




Aula de Herbologia para saber quem sabia muito bem sobre o assunto, os melhores alunos ganhavam brindes de Harry Potter. 




E todo mundo participa se quiser!






Hoje em dia, eu ainda faço eventos de Harry Potter, mas fazemos em eventos de anime para que todos possam ter o devido conforto e tudo seguir com uma organização melhor elaborada. Essas fotos são dos primeiros eventos que eu fui, hoje em dia estamos com muito mais coisas e atividades pra todo mundo que é Pottermaniaco  ou Potterhead e vou postar as fotos aqui embaixo para vocês ficarem com aquele gostinho de "Quero muito conhecer!"


Nossa sala de Harry Potter em eventos de Anime.





Temos poções pra galera montar sua coleção e artigos de cosplay (para todos que quiserem montar seu cosplay de aluno de Hogwats). 



Temos até mesmo a Dedos de Mel (com direito a cerveja amanteigada). *-*



E exposições bem legais! 




Bom, não vou colocar muitas coisas ou o post vai ter milhões de fotos! Mas fica aqui o meu convite pra você conhecer melhor o meu mundo e esse mundo de eventos super legal e cheio de possibilidade de novas amizades. Pra quem quiser conhecer mais eu vou deixar aqui o nome do fã clube pra quem quiser procurar no face (Magic Potter - Potter Muggle) 
Espero que tenham curtido meu post falando sobre os eventos e sobre Harry Potter. 


Um grande beijo pra toda a galera que não deixa a magia acabar. <3


Jackie Cerone

3

Resenha: Livro: O duque e eu – Julia Quinn – Editora Arqueiro

Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.
Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.
Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

Minha opinião: Quem me conhece sabe que sou apaixonada por romances históricos. Já tinha lido alguns da Julia Quinn publicados pela Harlequin (romances de banca) e quando soube que a Arqueiro iria lançar essa série fiquei mega feliz! Não pude deixar de comprar assim que vi na pré-venda e de lá pra cá já li o livro várias vezes.

A série é formada por oito livros, cada um trazendo a história de um dos oito irmãos da família Bridgerton de maneira que se você ler fora de ordem não atrapalha a leitura, mas se for na ordem melhor, pois temos algumas poucas referências aos outros irmãos em cada livro. O primeiro, O duque e eu, conta a história da Daphne Bridgerton.

Daphne está em sua temporada de bailes e quer desesperadamente arrumar um marido. O problema é que todo candidato que vê parece ter algum defeito, e os que são bons partidos só a vêem como amiga.

Em contrapartida temos o duque de Hastings, Simon Basset, amigo do irmão de nossa protagonista e que acaba de voltar a Londres após um bom tempo fora.  Simon é o sonho de toda mãe procurando um bom partido para a filha: é rico, bonito, tem um bom título. O único problema é que ele não quer se casar nunca devido a motivos que, se você quer saber, melhor ler o livro (haha).

Aí então surge o plano perfeito. Simon vai fingir cortejar Daphne assim afastando as mães casamenteiras que o querem como genro e ao mesmo tempo atraindo mais pretendentes “de qualidade” para Daphne, afinal se um duque importante como ele está interessado é porque a moça tem bons atrativos!

"O desespero na voz de Simon lhe disse tudo o que ela precisava fazer. Ele a queria. Desejava. Estava louco por ela. (Pág. 139)"

A idéia é muito boa e tem tudo pra dar certo não fosse eles se sentirem tão atraídos um pelo outro o que os leva a cometerem atos um tanto impensados que tem suas conseqüências – talvez - não tão desejadas...

Julia Quinn acertou em cheio quando decidiu escrever esse romance. Com uma narrativa leve e muito bem humorada ela nos leva para uma época vitoriana muito bem bolada e descrita, com bailes, vestidos de festa e com direito a uma fofoqueira de plantão, a tal Lady Whistledown que ninguém sabe quem é, mas ela sabe sobre tudo que acontece. Deu um quê de Gossip Girl na história que eu adorei! Dá vontade de ler os próximos livros só pra saber quem é essa Lady Whistledown..

"- Mamãe! 
- Muito bem. Os seus deveres conjugais… quer dizer, a consumação… é como se fazem os bebês. 
Daphne se apoiou na parede. 
- Então a senhora fez isso oito vezes?" - página 179


Os personagens foram muito bem construídos: Daphne é uma mocinha inteligente, de personalidade forte e muito engraçada. Tem uma ingenuidade que em certas ocasiões chaga a ser cômica! Simon é um duque irresistível que apesar de ser contra casamento e tudo mais se mostra um homem bem charmoso e até romântico. Os diálogos entre os dois são sensacionais e as cenas de sexo (sim, o livro é levemente hot) são muito bem descritas e surpreendentemente leves e descontraídas. Imagine uma mulher que não sabe nem o que é sexo em sua noite nupcial.. Pois é, é bem engraçado.

O livro é muito bom, termina com um gostinho de quero mais. O romance tem um bom timing acontece tudo no tempo certo, sem ser rápido ou devagar demais, e o crescimento dos personagens (principalmente o Simon) é notável e muito bem desenvolvido, é interessante acompanhar a forma como muda seus próprios conceitos e amadurece. É uma leitura mais que agradável, leve e rápido. Tem todos os ingredientes certos para um romance histórico de mão cheia! Julia Quinn se tornou facilmente minha autora preferida desse gênero!

Larissa Gaigher