0

Diários de Leitura #3 - Dezenove minutos Jodi Picoult

Oi gente! Eu disse que ia tentar postar todos os dias, mas não li todos os dias :(
A última vez que postei foi dia 20.08 e no dia 21.08 eu não li porque foi feriado e eu sai com as amigas, no dia 22.08 e 23.08 que foi o final de semana fiquei com o marido e a minha baby. E essa semana eu simplesmente apaguei á noite, porque não sei se vocês sabem eu tenho anemia. :(

Eis que ontem na empresa onde eu trabalho, acabou a energia e eu tive umas horinhas vagas e aproveitei para ler Dezenove minutos, já comecei esse livro umas três vezes só que o começo dele me confundiu um pouco, hora no passado, hora no presente, várias histórias intercaladas e aí eu acabava desistindo, mas ontem comecei a ler com mais vontade e dei uma boa avançada.

Dezenove Minutos - Sterling é uma cidadezinha comum do interior, onde nada acontece – até o dia em que a quietude é abalada por um terrível ato de violência. Peter, um adolescente socialmente isolado que há anos sofre bullying, um dia leva uma arma para a escola e abre fogo contra os colegas, matando dez pessoas. Narrações do passado revelam como as constantes provocações dos outros alunos levaram Peter a se isolar, buscando refúgio em jogos violentos de computador. Josie, filha da juíza responsável pelo caso e que já foi a melhor amiga de Peter, deveria ser a testemunha mais valiosa de acusação, mas não consegue se lembrar do que aconteceu bem diante de seus olhos – ou será que consegue? Conforme o julgamento avança, rupturas entre os adolescentes da escola e a comunidade adulta começam a se revelar, destruindo famílias e as amizades mais íntimas.

Eu estou lendo no meu kindle, e li 29%, o livro é muito bom e eu realmente estou com dó do Peter, por mais que nada justifique o que ele fez, essa é a dura realidade.

Amanhã vou tentar voltar aqui pra contar mais um pouquinho.

Até!



0

Diários de Leitura #2 Terminei!!!! O diário de Anne Frank

Oi gente, terminei de ler O Diário de Anne Frank e tenho que dizer que é bem triste e o final é bem perturbador mesmo, porque acaba sem fim... Mas de qualquer modo o livro é bom!

Anne Frank nem parecia ser uma adolescente, acho que sou mais criança que ela.

Eu disse que já tinha lido esse livro, mas eu realmente não lembrava de nada.

Vale a pena ler com certeza.



Quote:

Amor, o que é o amor? Não creio que se possa realmente pôr em palavras. Amor é entender alguém, se importar, compartilhar as alegrias e tristezas. Isso pode incluir o amor físico. Você compartilha alguma coisa, dá alguma coisa e recebe algo em troca, seja ou não casada, tenha ou não um filho. Perder a virtude não importa, desde que você saiba que, enquanto viver, terá ao lado alguém que a compreenda e que não precisa ser dividido com ninguém mais!


0

Diários de Leitura #1 O diário de Anne Frank

Oi! Não postava nada há oito meses e hoje estou postando duas vezes!!!!(Aleluia)

Hoje eu estava no vlog da Tatiana Feltrin e ela estava falando do livro "O diário de Anne Frank". O modo como ela vai contando a história me deixou com vontade de reler. Nem lembro mais, aí estava no whatsapp com a Renata e ela gosta do livro e me colocou mais vontade de ler.

Eis que comecei a ler no kindle e li 30%. O livro é triste e como sabemos o final vai deixando tudo mais melancólico, até o tempo aqui esfriou e estava um calor de 30°.

Engraçado que a Anne chama seu diário de Kitty... achei tão bonitinho! Achei ela doce a o relacionamento com a mãe é bem conturbado.

" Sexta-feira, 2 de abril de 1943
Querida Kitty Oh, meu Deus! Já marquei mais um ponto negativo contra mim mesma! Ontem à noite eu estava deitada, esperando que papai viesse rezar comigo e desejar-me boa-noite, quando mamãe entrou, sentou-se em minha cama e perguntou gentilmente: — Anne, papai não pode vir agora. Posso rezar com você, hoje? — Não, mamãe — respondi. Mamãe se levantou, permaneceu por alguns instantes ao lado da cama e depois encaminhou-se para a porta. Subitamente, voltou-se com o rosto desfigurado e disse: — Não quero me aborrecer. Amor não se força. — Ao deixar o quarto tinha os olhos cheios de lágrimas."

Também quero me desculpar com vocês por causa da formatação gente... Estou pelo celular. Fica mais difícil.

Mas foi isso! Minha leitura de hoje fou bem interessante, só que amanhã o dia vai ser bem agitado e depois vou sair com as amigas, aí não sei se vai dar tempo de ler mais alguma coisa. Mas hoje vou ler mais um pouquinho. Qualquer coisa posto amanhã sobre o que li.

Até!
0

Oi gente!!! Uau quanto tempo!!!

Quanto tempo! Bom,  a verdade é que as coisas mudam, o tempo passa... Os livros continuam sendo uma grande paixão, porém não consigo ir muito pra frente com as minhas leituras. Então hoje tive uma idéia que pode ir pra frente ou não(como tudo na vida).

Vou postar todos os dias, mesmo q eu não tenha lido nada... vou fazer tipo um diário de leitura... mas não vou divulgar muito porque a minha bipolaridade é grande... Então venho aqui hoje toda animada e amanhã nem apareço.  Bom... pode até acontecer ok?

Eu poderia citar um livro aqui, mas não consigo ir adiante com as minhas leituras! Ontem postei no Instagram que eu estava lendo A garota no trem, mas aí eu li três páginas e fiquei navegando no facebook e ig e vice e versa e quando vi já estava com sono e não li praticamente nada. Algumas pessoas desligam o wi-fi e  o 3g, pois bem... estou pensando seriamente em fazer isso.

Sinto falta de ler e sinto falta de vocês!

Mas a vida de mãe me toma um pouquinho o tempo, o trabalho e até o marido que tem ciumes dos livros, diz que não dou atenção pra ele, então quando eu deito na cama e penso que enfim vou ler... Não é bem assim! Mas acredito que temos que ter um hobby de qualquer maneira... que seja ler, assistir séries, filmes, qualquer coisa, porque nos dias de hoje temos que ter alguma diversão.

É isso! Até a próxima!

9

Falando sobre blogs #2 [TLT]

Oi gente, faz mais ou menos uns quatro anos que eu acompanho o blog/vlog TLT e antes eu não gostava da Tati, achava ela MUITO metida(eu e a minha mania de julgar as pessoas), mas aí toda vez que eu ia procurar alguma resenha no you tube encontrava com alguma resenha dela e viciei... E por esses tempos eu entro todo dia para ver se ela postou algo, acho que viciei.

A Tati lê muitos livros clássicos e o modo que ela conta a história faz eu desejar o livro mais que tudo... Ela consegue tornar o livro mais mágico ainda.

Acho que 90% dos blogueiros conhece o vlog dela, mas se você ainda não conhece, eu sugiro que você dê uma olhada, porque realmente vale muito a pena.


Ela tem o blog, o vlog e instagran, vou deixar aqui os endereços:

YouTube: https://www.youtube.com/user/tatianagfeltrin
Blog: http://www.tatianafeltrin.com/
Instagran: http://instagram.com/tatianafeltrin

Um dos videos que eu mais gosto dele é esse aqui, acho que vale a pena conferir, mas é muito difícil escolher apenas um vídeo dela, as vezes passo um Domingo inteiro vendo os videos, ela fala com tanta clareza que eu fico imaginando EU na  história... rs


Espero que vocês tenham gostado da dica! Beijos e até a próxima.



2

Falando sobre... Hitler

Oi gente! Esses dias acordei com a Hitler na minha cabeça e a coitada ficou uma confusão só, pois eu sempre fui muito mal na escola e nunca dei ouvidos a essa história. Só que agora eu queria saber tudo e não sei nada.

Ontem eu deitei para dormir e falei para o meu marido me dizer como foi que Hitler morreu(sim eu não sabia), e ele me disse que ele foi envenenado, que talvez pela mulher dele até e também com um tiro. Achei a história bem interessante e gostaria de começar a ler um livro, só que pesquisei na net e tem MUITOS livros do assunto.

Uma pessoa disse para eu começar com o livro Minha luta, que conta a história dele por ele mesmo, mas ai já sei de que lado vou ficar né? E eu realmente não quero ficar do lado do Hitler... rs

Bom, pesquisei mais alguns livros e vou deixar aqui a capa e a sinopse pra vocês:






Esse é o livro que Adolf Hitler escreveu quando estava preso, para tentar explicar a sua história: Minha Luta foi escrito quando Hitler se encontrava preso por uma tentativa frustrada de golpe. Como ele mesmo disse a intenção da obra era expor a ideologia do Partido Nacional Socialista. Foi escrita em 1924 e continha em gérmen tudo o que o Nazismo viria a realizar quando tomasse o poder. 











Esse livro do Ian Kershaw tem mais de mil páginas e disseram que a obra é ótima, porém muito cansativa. Considerada pela imprensa internacional a biografia definitiva do ditador alemão, Hitler, do inglês Ian Kershaw, alia fluência narrativa e rigor histórico para contar a vida da personalidade mais sinistra do século 20.







Esse daqui me chamou bastante a atenção, por se tratar de uma mulher que o desafiou, No verão de 1940, quando a ocupação nazista na França se tornou irremediável, a vida da historiadora de arte Agnes Humbert tomou um rumo surpreendente. Inconformada com a dominação nazista, movida por uma coragem ímpar e com o apoio de seus colegas do Museu do Homem em Paris, Agnès fundou um dos primeiros grupos da Resistência francesa. Durante quase um ano, ela e seus companheiros redigiram, imprimiram e distribuíram o jornal Résistance, além de panfletos e outros textos contra o governo de Vichy.



"Um professor especialista em nazismo e II Guerra Mundial, começa a ter insônia e pesadelos, como se estive vivendo as atrocidades do Nazismo. A partir disso o passado passa a ser vivo para ele. Em um ponto de desatino, sobe na mesa da sala de aula e diz que os alunos são parceiros de Hitler. Sua intenção é, na verdade, provocar a sensibilidade e a curiosidade de seus alunos. Bem quisto por alguns, mas muito criticado e até processado por outros, ele é banido da universidade. Mas fica famoso recebendo diversos convites para conferências enquanto se esconde de um estranho complô nazista que tenta a todo custo assassiná-lo. Seu reconhecimento como grande historiador faz com que receba um convite de cientistas alemães, que pesquisam uma máquina complexa, financiada pelas forças armadas e que usa a teoria da relatividade e da quântica para conseguir viajar no tempo. Mas por que ele? O convite então se torna claro: tudo o que os alemães querem é alguém com competência suficiente para voltar no tempo, matar Hitler e mudar a história. Apesar de eliminar todo o mal causado por Hitler, conseguiria ele chegar à infância do ditador e assassiná-lo. Faria ele esta atrocidade?" 



Nesta biografia equilibrada e imparcial de Adolf Hitler, Fernando Jorge, consagrado biógrafo de Aleijadinho, Santos Dumont e Paulo Setúbal, reconstitui a trajetória do Führer em toda a sua dimensão monstruosa e também humana, desde a pobreza na sua Áustria natal, a tentativa frustrada de se tornar pintor, seu encantamento com o pangermanismo e o antissemitismo da época, até sua ascensão ao poder supremo na Alemanha, causando a Segunda Guerra Mundial, cujo saldo foi de milhões de mortos e uma destruição sem precedentes, que só teve fim com o suicídio dele numa casamata sob as ruínas de Berlim. Buscando nas deformidades do caráter do ditador a verdadeira origem da selvageria nazista, o autor nos deleita com a beleza de sua prosa e com a abrangência de sua erudição, tintas multicoloridas com que pintou este retrato fidedigno e irretocável da pior tirania da História.


São tantos livros sobre Hitler que eu fiquei perdida, gente, são muitos e tem outros livros com histórias paralelas.. acho que deve ser interessante se aprofundar nessa história. Aqui embaixo vou deixar a capa de outros livros sobre Hitler ou relacionados e se vocês já leram algo, me contem o que acharam.




Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.
"Um livro maravilhoso." - The Guardian
"Intenso e perturbador [...] pode-se tornar uma introdução tão memorável ao tema como O diário de Anne Frank foi em sua época." - USA Today
"Um livro tão simples e tão bem escrito que beira a perfeição." - The Irish Independent





A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.

Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público.

A obra fala sobre a vida de Olga Benário alemã, judia e comunista, que se envolveu com Luís Carlos Prestes. Ela veio ao Brasil para lutar com ele pelos ideais comunistas. Acabou sendo presa e deportada grávida para a Alemanha pelo governo brasileiro, tendo como presidente Getúlio Vargas. Morreu numa câmera de gás de um campo de concentração em 1942. 









Piotr Bruck era apenas um menino polonês quando os nazistas mataram seus pais e invadiram seu país. Seu destino parecia traçado: acabaria num orfanato e depois seria um trabalhador escravo. Mas seus olhos azuis, cabelo loiro, pele clara e estatura faziam dele um exemplo da raça pura, um modelo para a Juventude Hitlerista. Então, os alemães o entregaram a uma família nazista... O que seus olhos vivenciaram o transformaria para sempre. Afinal, ele deveria ou não lutar pela humanidade? De qual lado deveria estar? Uma escolha difícil que faz desse livro um romance arrebatador.







Um livro definitivo sobre o declínio de Hitler. O cotidiano do ditador naqueles dias dramáticos, os surtos de euforia e a depressão diante da derrota inevitável. Um relato histórico precioso escrito por um dos maiores especialistas em Terceiro Reich. O autor relembra em seu relato um acontecimento que significou, para uma geração inteira, nada menos do que o fim do mundo. Mais do que isso, ele nos revela os bastidores desse apocalipse, mostrando como o ocaso de um violento ditador arrastou consigo um país inteiro. O livro traz ainda perfis dos principais membros da entourage pessoal de Hitler, dominada pela competição e pela intriga até os instantes finais do Führer.







Este livro trata dos horrores da Segunda Guerra Mundial sob a ótica do carrasco. São as memórias de Maximilien Aue, jovem alemão de origem francesa que, como oficial nazista, participa de momentos sombrios da recente história mundial - a execução dos judeus, as batalhas no front de Stalingrado, a organização dos campos de concentração, até a derrocada final da Alemanha, em 1944. Mas Aue não tem somente lembranças de guerra. Vivendo anonimamente na França, onde administra uma tecelagem, ele se recorda, também, de sua deturpada relação com a família, compondo um livro impressionante, assombrado tanto por sua fria meticulosidade quanto por seu delírio insano. 



Fiquei muito interessada em todos e vocês???




2

Resenha: 12 anos de escravidão - Salomon Northup


Nome: 12 anos de escravidão
Autor: Solomon Northup
Editora: Companhia das letras
Páginas: 280 
Ano: 2014
Classificação: 3,5 / 5


Oi gente! Hoje a resenha é de um livro super melancólico, realista e profundo.

A extraordinária história do violinista Solomon Northup, um negro livre que foi sequestrado e vendido como escravo. Por doze anos ele trabalhou em diversas fazendas na Louisiana até ser libertado em uma batalha judicial. "Doze anos de Escravidão" narra a história real de Solomon Northup, negro americano nascido livre que, por conta de uma proposta de emprego, abandona a segurança do Norte e acaba sendo sequestrado e vendido como escravo. Durante os doze anos que se seguiram ele foi submetido a trabalhos forçados em diversas fazendas na Louisiana. Este relato autobiográfico, publicado depois da libertação de Northup, em 1853, logo se tornou um best-seller, e hoje é reconhecido como a melhor narrativa sobre um dos períodos mais nebulosos da história dos Estados Unidos. Verdadeiro elogio à liberdade, esta obra apresenta o olhar raro de um homem que viveu na pele os horrores da escravidão.

Minha opinião:

O livro conta a história de Solomon Northup, um negro livre que foi vendido como escravo e sequestrado por 12 anos. Conta desde os momentos que morava com a sua familia sossegado e feliz, depois o venda e seus 12 anos de sofrimento e luta até ser livre novamente, mas infelizmente sem doze anos com a sua família.

Livro para você pensar muito, que você pode ter muitos problemas, mas que as vezes você poderia estar em uma pior e fica só reclamando da vida.

“Agora, sob a sombra de uma nuvem escura, adentro as densas trevas em meio às quais logo desaparecerei, para ser, a partir de então, oculto dos olhares dos meus entes queridos e privado da doce luz da liberdade, por muitos anos de extenuante sofrimento.”

Além da história de Solomon, ainda temos algumas em paralelo e não lembro o nome de uma mulher, que foi vendida, mas lembra da dor que foi a separação dela e de sua filha, pois cada uma foi vendida para uma pessoa diferente, e a cena contada de uma forma que doeu e muito, consigo sentir a dor de um mãe que nunca mais vai ver seu filho.

O livro é muito bom e recomendo para todos sem exceção, para que possamos refletir mais sobre a vida e o que fazemos com ela e nesse caso, o que fizeram com ela.

Deixando aqui o trailer do filme, 12 anos de escravidão que levou o Oscar de melhor filme, melhor atriz coadjuvante e melhor roteiro adaptado. Com certeza irei assistir o mais breve possível



                        Eunice Ely



0

Instagram Amor de Livros / Eunice



Oi gente!

Encontre-me no Instagram, além de postar sobre livros, posto sobre tudo, o que acaba deixando os leitores mais próximo.

@euniceely

Beijos e boa quinta!